TESTE DE FALA: UMA MEDIDA SIMPLES PARA AFERIR INTENSIDADE DOS EXERCÍCIOS

Durante a prática de exercícios físicos podemos ficar ofegantes e, em outros momentos, nem tanto assim. Por conta disso, podem surgir algumas dúvidas, entre elas, se o treino está sendo realizado em uma intensidade adequada e segura. Se o praticante não dispuser de algo para aferir essa intensidade, o que fazer? Podemos usar o teste de fala ou Talk test (na tradução literal, teste de conversa), uma alternativa subjetiva, porém simples, não-invasiva, sem custo financeiro e de fácil aplicabilidade. 

Se o praticante em determinada intensidade não consegue conversar de maneira confortável, seria recomendável reduzir um pouco a percepção subjetiva de esforço (PSE) para manter o treino em uma zona de segurança. Na prática, acontece assim: já passou pela situação em que há necessidade de respirar mais rápido e curto para tentar compensar o oxigênio para o corpo e mesmo assim não adianta? Além disso, neste momento não consegue falar de forma confortável? Esse é um exemplo de que a intensidade está chegando no limiar, e se tratando de exercícios para fins de promoção da saúde, não seria recomendado.

 Por outro lado, se a fala durante o esforço for confortável, essa seria uma intensidade que não apresenta grandes riscos para o praticante. É sempre importante comentar que, se o praticante necessitar de algum cuidado especial (cardiopatas e hipertensos, por exemplo), os cuidados são maiores, por isso é muito importante sempre ser acompanhado por um profissional de educação física.

Para avaliar, o profissional de educação física também pode solicitar que esses praticantes falem um parágrafo padronizado por leitura, ou frases fáceis e conhecidas para a avaliação da intensidade. Esses testes são bem práticos e podem ser aplicados pela grande maioria das pessoas. A medida em que a aptidão física for evoluindo, as intensidades que antes deixavam os praticantes ofegantes, serão percebidas de formas diferentes com a progressão e melhora nos treinos.

Existem outras formas de avaliar a percepção subjetiva de esforço? Sim!  Como a tabela de Borg, por exemplo, porém hoje nos ateremos ao teste de fala como método que é bem tranquilo de aplicar. Então, vamos nos mexer e se necessário falar para avaliar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima