Exercícios e qualidade de vida na terceira idade

No Brasil é considerado idoso quem tem 60 ou mais de idade. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, a população idosa brasileira é composta por 29.374 milhões de pessoas, totalizando 14,3% da população total do país.

Ao longo dos anos a expectativa de vida no Brasil aumentou. Em 1945 era em torno de 50 anos de idade, já quem nasce hoje no Brasil tem a expectativa  média de vida de 80 anos. Com isso, a qualidade de vida melhorou e muito dessa melhora se deve à evolução da ciência, vacinas, medicamentos, mais informação para as pessoas de forma geral, na parte jurídica, médica e das ciências do treinamento.

Os exercícios físicos regulares têm papel importante na vida dos idoso, repercutindo de forma positiva na qualidade de vida e envelhecimento ativo. Hoje não temos nenhuma dúvida de que a prática de exercícios físicos regulares está relacionada com o melhor desempenho no seu dia a dia, melhora da autonomia, e diminuição de determinados tipos de doenças crônico-degenerativas.

Benefícios para a terceira idade

O exercício físico regular é importante para pessoas de qualquer idade, porém, na terceira idade, os reflexos positivos dos exercícios físicos são refletidos de formas notórias. Entre outros benefícios estão: a diminuição do risco de quedas e fraturas, prevenção de doenças (Osteopenia, osteoporose, hipertensão arterial, artrite, depressão), diminuição dos níveis de gordura corporal, melhora das capacidades físicas, como força, equilíbrio e coordenação motora.

A prática regular dos exercícios físicos promove melhoras em várias áreas: na parte fisiológica, através de controle da glicose, contribui com a qualidade do sono, melhora da capacidade física relacionada com a saúde. 

Nos aspectos psicológicos, produz a redução nos níveis de estresse, nos níveis de ansiedade, promovendo o relaxamento e ajuda na melhora da cognição. Na área social, melhora a integração social, cultural, deixando as pessoas mais seguras. Esses benefícios são advindos tanto dos exercícios de força ou resistidos (musculação), quanto dos aeróbicos. Importante: para que haja segurança, a procura de um profissional de educação física é essencial, visto que esse profissional prescreverá e acompanhará esse público para melhores resultados de forma macro.

Com o passar da idade, mudanças fisiológicas acontecem, entre elas a diminuição de massa magra (sarcopenia), diminuição da massa óssea, aumentando a possibilidade de osteopenia e osteoporose. Para diminuição da sarcopenia, prevenção ou cura da osteopenia, e prevenção ou controle da osteoporose, dando mais qualidade de vida aos idosos, o treinamento de força, ou treinamento resistido (musculação), é um bom exemplo e tem mostrado excelentes resultados, aumentando a massa muscular e óssea, melhorando níveis de força muscular, auxiliando na melhora da aptidão física e funcional do idoso. 

Agora imagine se tivermos estímulos desde criança para bons hábitos de vida, alimentação saudável, bastante movimento. Essas crianças tendem a se tornarem adultos ativos, se tornando idosos ativos e saudáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima